Teste molecular rápido por RT-PCR (GeneXpert)

• Pacientes sintomáticos com suspeita de Covid-19 (3º ao 10º dia após o início dos sintomas); • Testagem de pessoas assintomáticas expostas a potencial transmissão (5 a 6 dias após a última exposição); • Pessoas que realizarão alguma atividade que requeira medidas adicionais de prevenção de transmissão*. Este exame necessita de agendamento. Valor: R$475,00

RT-PCR Saliva

• Pacientes sintomáticos com suspeita de Covid-19 (3º ao 10º dia após o início dos sintomas); • Testagem de pessoas assintomáticas expostas a potencial transmissão (5 a 6 dias após a última exposição); • Pessoas que realizarão alguma atividade que requeira medidas adicionais de prevenção de transmissão*. Este exame necessita de agendamento. Valor: R$202,50

RT-PCR em amostras respiratórias

• Pacientes sintomáticos com suspeita de Covid-19 (3º ao 10º dia após o início dos sintomas); • Testagem de pessoas assintomáticas expostas a potencial transmissão (5 a 6 dias após a última exposição); • Pessoas que realizarão alguma atividade que requeira medidas adicionais de prevenção de transmissão*. Este exame necessita de agendamento. Valor: R$202,50

Coagulograma

Exame de triagem que compreende: tempo de coagulação (TC), tempo de sangramento (TS), prova do laço (PL), retração do coágulo (RC), tempo de protrombina (TP), tempo de tromboplastina parcial (TTP) e avaliação plaquetária.

Cultura de urina com contagem de colônias

Exame de urina que identifica a presença de bactérias. Como os rins e a bexiga são locais estéreis, ou seja, sem micróbios presentes, a identificação de uma bactéria na urina costuma ser um forte indicador de uma infecção urinária.

Colesterol total

O exame de colesterol total, também chamado de painel ou perfil lipídico, mostra os níveis de colesterol e triglicérides na corrente sanguínea. O colesterol total é considerado fora dos limites normais quando é igual ou superior a 190 mg/dL e/ou quando o colesterol bom (HDL) está abaixo de 40 mg/dL, para homens e mulheres.

Proteína C-reativa

A proteína C-reativa, também conhecida como PCR, é uma proteína produzida pelo fígado, cuja concentração sanguínea se eleva radicalmente quando há indicativo de processos inflamatórios ou infecciosos. O nível da proteína é medido através de um exame de sangue comum, com o objetivo de avaliar a possibilidade de uma infecção ou inflamação.

Tireoestimulante, Hormônio (TSH)

O exame TSH é responsável por avaliar possíveis problemas na tireoide dos pacientes. A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço e sua função é agir no coração, cérebro, fígado, rins e produzir hormônio T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) que ajudam no controle do metabolismo.

Antibiograma automatizado

Exame que identifica a sensibilidade da bactéria aos antibióticos, possibilitando que o médico indique qual o antibiótico mais aconselhado para agir sobre a infecção do paciente.  O antibiograma é também conhecido por Teste de Sensibilidade a Antimicrobianos (TSA).

Transaminase Oxalacética (Amino Transferase Aspartato)

A transaminase glutâmico oxalacética (TGO), também chamada de aspartato aminotransferase (AST) e antigamente chamada de transaminase glutâmico-oxalacética do soro, é uma enzima transaminase que catalisa a conversão da porção nitrogenada de um aminoácido para um resíduo de aminoácido. A elevação absoluta das aminotransferases tem grande significado diagnóstico.

Transaminase Pirúvica (Amino Transferase de Alanina)

Exame TGP é o exame laboratorial que mede os níveis da enzima transaminase glutâmico-pirúvica (TGP) no sangue. Ele serve principalmente para investigar problemas no fígado. Também conhecida como alanina aminotransferase (ALT), a enzima TGP participa das reações bioquímicas para a produção de energia. O teste ALT geralmente é feito junto com outros testes que verificam danos no fígado, incluindo aspartato aminotransferase (AST), fosfatase alcalina, lactato desidrogenase (LDH) e bilirrubina. Ambos os níveis de ALT e AST são testes confiáveis para o fígado.

Rotina de urina (caracteres físicos, elementos anormais e sedimentoscopia)

O exame de elementos e sedimentos anormais (EAS) da urina, ou exame de urina tipo I, é um exame de rotina e corriqueiro, que procura fazer análise física (cor, aspecto, gravidade específica), análise química (pesquisa de pH, albumina, glicose, bilirrubina, cetona, etc.). Este é um dos testes mais solicitados para verificar a saúde de um paciente. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é utilizado apenas para detectar uma infecção urinária, mas pode conter informações importantes sobre diversos aspectos do corpo, auxiliando no diagnóstico de muitas doenças. A urina contém diversos resíduos e toxinas, produtos que são filtrados pelo nosso organismo. Tudo o que você come, bebe, o quanto se exercita, funcionamento dos rins, qualquer descompensação, distúrbio ou doença podem afetar a sua aparência normal. 

Glicose

O exame de glicemia ou glicemia em jejum é aquele que mede o nível de glicose (taxa de açúcares) na corrente sanguínea, feito a partir de uma coleta do sangue venoso e de um período de 8 horas de jejum sem alimentos ou bebidas, exceto água.  Para não comprometer sua rotina, Você pode agendar o teste logo pela manhã para não ter que jejuar durante o dia. Isso garante as condições adequadas para uma análise correta.

Sódio

Usado para detectar concentrações anormais de sódio, denominadas hiponatremia (baixo) e hipernatremia (elevado). O médico pode solicitar o exame em conjunto com outroseletrolitos para identificar um desequilíbrio eletrolítico. Pode ser feito para determinar se a doença/estado clínico que compromete o cérebro, pulmões, fígado, coração, rins, tireoide ou  glândulas adrenais esteja causando ou sendo agravada pelo excesso ou deficiência de sódio. Em pacientes com desequilíbrio eletrolítico conhecido, faz-se periodicamente o exame de sódio no sangue para monitorar se o tratamento é eficaz. Também pode ser feito para monitorar pacientes que estejam tomando medicamentos que alteram os níveis de sódio, como diuréticos.

Potássio

Usado para reagir à hipocalemia (baixa de potássio), que inclui fraqueza, falta de energia, dores musculares, distúrbios de estômago, batimentos cardíacos irregulares e um eletrocardiograma anormal. O valor de referência do potássio no sangue é entre 3,5 mEq/L e 5,5 mEq/L. Quando esse mineral encontra-se acima ou abaixo do valor de referência, pode originar o surgimento de algumas complicações para a saúde.  

Ureia

Usado principalmente para avaliar a função dos rins. Atualmente, tem sua maior utilidade em clientes renais crônicos, uma vez que o exame de creatinina é mais utilizado para diagnóstico de problemas renais ou mesmo acompanhamento da função renal.  Para realizar o exame de ureia não é necessário estar de jejum ou realizar qualquer outro preparo, e o exame é feito a partir da coleta de uma pequena quantidade de sangue, que é enviado para o laboratório para análise.  

Creatina

O exame de creatinina é usado para avaliar a função dos rins. A creatinina é um resíduo produzido pela quebra de uma proteína chamada creatina fosfato. Em níveis elevados, a creatinina pode indicar condições como insuficiência renal, infecção nos rins, desidratação e problemas durante a gravidez. A creatina [NH2-C(NH) - NCH2(COOH)-CH3] é um composto de aminoácidos presentes nas fibras musculares e no cérebro. A palavra deriva do grego kreas, que significa carne. Em 1832, o cientista e filósofo francês Michel Eugene Chevreul identificou e nomeou a creatina. 

Hemograma com Contagem de Plaquetas ou Frações (ELP)

O hemograma completo é um tipo de exame de sangue feito para medir a saúde geral do paciente. É muito usado para diagnosticar distúrbios como anemia, doenças autoimunes e leucemia. O exame consiste na medição dos níveis de glóbulos vermelhos (hemácias), brancos (leucócitos) e plaquetas. Em um eritrograma há quatros itens em análise: VCM, HCM, CHCM e RDW. O primeiro deles, VCM (volume corpuscular médio), diz respeito ao tamanho médio das hemácias, medido em fentolitros (fl, que equivale a 1000 ml). Para ser considerada normal, uma hemácia deve ter de 80 a 100 fl, sendo chamada de normocítica.

Ver todos

Convênios